sexta-feira, 22 de maio de 2009

aquarela perdida...

1.O termo no limite define bem a exaustão após um dia de trabalho e canseiras em São Paulo. É trânsito de final de tarde, parece que todos vão para o mesmo lugar. Problemas e mais problemas, dificuldades financeiras e outras situações corriqueiras. Já se sentiu assim?

2. No limite! Há tempo que venho pensando a respeito dele, e queria entender um pouco seu lado escondido. Já cheguei próximo dele, e pude sentir o calafrio que provoca na espinha dorsal e o estado de espírito animoso que atinge o emocional. O melhor é ter paciência, parar, pensar, analisar o inconsciente vizinho causador de encrencas.

3. O corpo quando atinge seu clímax não suporta a adrenalina, tudo fica confuso, o raciocínio não flui, a organização mental se embaralha e pode provocar sérias consequências à saúde de quem não se agasalha adequadamente.

4. No limite não define somente o estreasse da vida moderna, ele aponta para outras áreas da atividade. Tem seu lado bom ao que parece, nem apetece de estender-me por demais, traz correlações diversificadas, pontos de vistas variados.

5. No futebol, paixão nacional, o craque dribla na grande área, dá uma paradinha, mais uma driblada sensacional, avança encontra-se frente à frente com o goleiro, e consegue fazer um belo gol no canto esquerdo e arrancar da arquibancada ovações, atingiu o limite desenhado.

6. O aspirante a universitário, traça sua trajetória, empenha-se no estudo durante meses, retarda os passeios, a visita aos amigos, fecha-se no seu quarto e finalmente alcança aquela vaga disputada, ultrapassou o limite...

7. Vejo nele uma espécie de baliza sensata para a coisa não ficar mal arrumada. E temos limite da honra, sem limite, limite ultrapassado, municípios limítrofes e não sei lá quantas variações mais. Limite prá lá, limite prá cá; convivemos com ele, dormimos, acordamos e sem ele não nos movemos neste oceano imenso do viver.

8. Seu mundo é extenso, proveitoso, perigoso. Talvez não exista outro vocábulo tão surrado pelo uso quanto ele, tão observado, tão desconhecido ao mesmo tempo tão presente nos meios e adjacências da competência.

9. Bem, cheguei ao fim destas linhas e Ele me acompanha, espera do mundo coisa séria, que os mísseis mortais não prosperem,que a economia se recupere,que o colapso do planeta terra não se concretize,que a imagem da matança cruel dos golfinhos em Dantesque não se repita, que a política ambiental se estabeleça e favoreça nossa geração,mais ação, menos discursos, mais ar puro,e que o mundo globalizado saia do apuro sem limites que se encontra na atual conjuntura.


10. Para além de todos os limites encontra-se um Ser Omnisciente, que estabeleceu primazias no firmamento,aparelhou o universo de fomentos admiráveis e espera que o homem consciente, sábio e temente se posicione à altura tenha compostura e não estrague, nem tão pouco deturpe a pintura original.

11. O mais são detalhes, ações que passam, vaidades cabais, poderes ilimitados, conflitos mundiais, reações descontroladas, diplomacias servis, devastações deliberadas, que reduzirão a frangalhos o belo quadro da criação divina.

12. Assim termina esta rima, ela pretende contribuir no limite do permitido, com o módico alcance de sua tinta insignificante para que os contornos do bem se reavivam e que os pincéis condutores dos destinos da nações reavaliem suas posições, analisem os esboços traçados, elaborem sólidos tratados, e que a aquarela perdida ao ser devolvida ao planeta venha autenticada com a assinatura da Paz ilimitada.

13. Se isto não vier a acontecer, não sei não! Quem irá pagar para ver? Será o apocalipse sem limites...Mas, vamos esperar, crer na ciência divina, na benevolência humana, na tecnologia precisa,nos avanços das pesquizas quânticas, pesos somados que serão decisivos na balança que se afiança imprevisível.

Helder Chaia Alvim
Postar um comentário