terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Mundo virado

“ Ouça o eu vou lhe dizer para que não seja em vão. Quem espera acontecer, morre cedo de ilusão. Esse mundo é bem virado, já virou meu coração. Já não choro o pranto amargo, já não canto a solidão. Quem não viu que venha ver a beleza desta vida, se a vida é pra viver , vou viver então a vida.”  Zé Alvim Chaia, festival da canção popular - Itaperuna -RJ 1975

o trem metropolitano e o mundo virado!

O trem parte da estação
Leva pessoas aglomeradas
Ocupando os lugares sem dizer nada

Ah! Se ele falasse! Quantas coisas diria...
Mas é mudo
Ouve tudo
Guarda taciturno
Muitos vão
Outros vem

E o trem acolhe a todos
Com bondade e disciplina
Não discrimina
Nem tão pouco determina

É sempre a mesma rotina cronometrada
Apitos, zunidos de marcha forçada
Altamente qualificada
Lá vai ele de parada em parada

Ah! Se ele falasse! Talvez se calasse...
De madrugada, no frio
Nas tardes de euforia
No calor do dia, na calada da noite
Quantas decepções presencia

Um sem fim de noticias
Sonhos perdidos
Alegrias desapercebidas
Injustiças á perder de vista

O trem chega
Trazendo aos lares gente desfeita
Afeita ao sofrimento
Parte novamente enorme serpente
Parece ser gente, nunca para, sempre á frente
Carregando consigo
A sensação de que algum dia, se dependesse dele
O nosso destino seria diferente.

Helder Chaia Alvim
Postar um comentário