quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Trólebus - só na saudade?!

Carta aberta às Autoridades Municipais,ao Empresariado,
à Imprensa,Rádio e Televisão,Entidades Comerciais, á SPTRANS,
à ANTP, Organizações Não Governamentais,
Associações de Bairro e aos Cidadãos de Bem.

Amigos,
O Toque de recolher para os Trólebus é fato quase consumado.Explico-me: A historia do Trólebus em São Paulo, como afirma o Diário do Comercio em edição recente “Tempos áureos do sistema são lembrados apenas em imaginação.”
(conf.Diario do Comércio, Ano 83/nº22.512 de 3/12/2008).

Vejo nesta oportuna reportagem a abertura de um leque, sem lentes de aumento, para algumas considerações e posteriores discussões. Nem precisamos ressaltar o valor histórico dos Trólebus que atravessou dezenas e dezenas de anos servindo à população da maior metrópole da América Latina. Deixo esta parte valiosa da nossa memória aos estudiosos do assunto.

§ 1. A Excelência Operacional da SPTRANS abandona uma ótima ferramenta de locomoção do paulistano atarefado – apenas 1% da frota encontra-se otimizada para este serviço de qualidade e com poluição 0% . A continuidade da implementação deste sistema traria muitas vantagens para o ar poluído da capital paulista,considerando que o Estado de São Paulo é responsável por considerável parcela do PIB Nacional. Isto implica num volume maior de negócios,movimentação de pessoas, tráfego intenso de carros à diesel e gasolina, aliás, acima dos patamares de outras capitais brasileiras.

§ 2. Apesar do custo benefício ser mais elevado, a população de São Paulo ganharia em qualidade de vida, mais funcionalidade, menos trânsito congestionado. O meio ambiente respiraria mais aliviado. Com as incertezas da recessão imobiliária americana, um fato a meu ver de maior relevância, a alta do petróleo é inevitável. As passagens sofrerão de imediato o impacto e o cidadão no seu bolso. Tudo é possível no mundo globalizado.

§3. A natureza é tão pródiga em nosso pedaço que já choveu o bastante e as usinas hidroelétricas tem energia de reserva para impulsionar nossos bondes de rodas, o que é melhor, sem poluição sonora e sem agravar ainda mais a qualidade do ar que respiramos.

§ 4. Fica feito o apelo de um poeta mínimo aos detentores dos nossos destinos Políticos, Financeiros, Sociais e aos Cidadãos de Bem, comprometidos com o futuro das gerações, em última análise com o planeta que habitamos, pois acredito que esta grande capital do Estado de São Paulo, inserida na contemporaneidade, ocupa um lugar de destaque no Brasil e no mundo.

§ 5. Encerro os comentários agradecendo ao Diário do Comercio e sua abalizada equipe pela reportagem: Trólebus: 3 oportunidades perdidas,” que considero um presente de natal para a cidade de São Paulo, a grande locomotiva do Brasil. Parabéns e que continuem, continuem...
São Paulo agradece!

§ 6. Meus amigos, com o avanço da definição digital há meios de conferir o que foi dito. Será muito fácil constatar os benefícios em ambiente virtual e a importância da retomada ampla dos Trolebus, e não ficarmos só na saudade e tristeza.
A cifra é impressionante, mais 5 milhões de veículos rodando nas ruas da Capital Paulista. Só este ano creio que 600 mil novos veículos foram licenciados. Porque não aliviar a situação com os Trólebus. A permanência deles é possível( leia a matéria supra-citada na integra ) isto é se houver vontade política e visão de futuro, sem abandonar a nossa história. Do contrário o toque de recolher dos Trólebus e fato quase consumado é só esperar os tristes resultados. A quem caberá a responsabilidade? A população de São Paulo é que irá julgar...

Helder Chaia Alvim
SP/13/12/2007
helder.chaider@yahoo.com.br
Postar um comentário