terça-feira, 18 de novembro de 2008

Minha Existencia Parte I

                            Minha Existência Parte I

Ah! a araruta preparada era o mingau predileto da criançada, eu, particularmente,muito o apreciava, servido no prato de ágata e minha mãe D. Geralda, ela melhor que ninguém sabia prepará-lo na caçarola, a gente se deliciava até altas horas...


Quando ficávamos doentes com febre e acamados, lá vinha o chá de alfa-vaca que cortava de pronto o mal, e o dia cedo raiava com sol, brilho e azul que extasiava nossos olhos pueris.


Quantas coisas, quanta vida jorrava na serra dos Pirineus, que se escrevesse tudo, uma existência seria pouco. Hoje, quantas lembranças, estes versos fluem em um turbilhão alegre, entremeados de doce saudade, para consolo deste pequenino poeta,

Revelando aos amáveis leitores, o quanto aquele tempo "lá em casa" era repleto de cores, locupleto de sabores. Ah! eu era feliz  e não sabia, alegre e não merecia vivenciar tantas energias, apreciar tantas maravilhas...

(Versos Soltos -Cantos da Antiga Era)

Helder Chaia Alvim
Postar um comentário