terça-feira, 13 de junho de 2017

I m a n e n c i a

              A   i m a n ê n c i a
1.       O Brasil enquanto pais soberano conhece bem suas estradas e trilhas, está imanente em si mesmo o bem comum, a democracia, as leis constitucionais, seus valores pátrios, e seu bem querer, sua abastança nos campos, sua flora e fauna exuberantes, sua topografia imensa, suas cidades solidarias e a vontade de seu povo de progredir. O que o atrapalha há décadas é sua politica sistêmica, beirando a ilegitimidade compulsória de muitos de seus parlamentares, um paradoxo pois eleitos pelo sufrágio popular, acabam legislando em motu próprio ou partidário, um acinte a este mesmo povo cordato que o elegeu. O resultado não poderia ser pior: a corrupção sistêmica contaminou sua artéria vital, uma montoeira de ações torpes apareceram e o Ministério Publico as tem  denunciado, a Policia Federal trabalhando afinco, e a historia universal nunca tinha tido noticia de tal corrupção. Teoria do caos, não creio, é o caos propositado que campeia na Res Publica Federativa beirando a uma enorme comoção social.
2.       Uma visão critica  seria interessante trazer a tona de nossa conversa amena, pois a sociedade e seu vicio de aparência e exterioridade corroborou em grande parte para esta situação esdruxula, cobrasse la mais atrás dos dirigentes mais noção ética  e seriedade não teríamos chegado onde chegamos, deixamos a corda solta, não acompanhamos as decisões dos respeitáveis... Agora a burrada está feita, e a escola da farra da verba publica veio ganhando adeptos enquanto o povo morre a míngua de seus sonhos latentes de liberdade e senso comum. Esvaiu a esperança, embotou a garra e vigilância, agora que as cobras estão criadas e deram crias está difícil de apealas do poder. O capitulo atual do Brasil trouxe com as investigações da Lava Jato revelações de estarrecer e apareceu um rombo colossal das contas publicas, corruptores e corrompidos de mãos dadas ferindo os direitos constitucionais e a auto determinação  do povo brasileiro.
3.       Quiseram ter a grana do erário publico e conseguiram, meu Deus que desplante espantoso, esqueceram o ser humano, a pátria e tudo o mais. Uns descarados vendilhões do templo sagrado da Republica Federativa. Eles somente eles desenvolveram habilidades perniciosas e construíram um outro pais para si! Um pais de falcatruas, tratativas escusas, um protecionismo de seus atos obscuros que hoje se revelam em toda a sua hediondez apatriota. Enxovalharam a Democracia, causaram a falência múltipla das instituições, caíram no descredito e colheram a abominação geral de + de 207 milhões de brasileiros.
4.       Relativizaram suas ações conjuntas, e com a fome de mil dragões devoraram a verba publica, patrimônio de todos, mas não contavam com a perspicácia deste mesmo povo que iludiam há décadas, e a própria corda que teceram, por ironia estã sendo utilizada para se enforcarem entre si.  As nossa raízes culturais, o bom senso, e o carácter lhano dos brasileiros estão fazendo a diferença, e da apatia de ontem surge uma raça renovada e vigilante não deixando passar nada batido, e a Moralização Nacional começa a ganhar a guerra para perenizar no futuro um pais realmente sustentável e justo para seus filhos e filhas esparsos por esta nação continente.
5.       A nota ideológica das ruas soberanas não passa mais pela dita esquerda ou direita, não! Elas tiveram seu tempo precioso e malograram em seus objetivos, a vibe é outra, se fundamenta nas leis constitucionais, na bem querença, na certeza e o empenho de realizar o sonho latente de liberdade e bem comum. A expectativa, depois de conduzir estes e estas pessoas não gratas da politica para o ralo da historia, será  limpar  a eira, o próximo passo será da união cívica nacional em torno da brasilidade, e quem ou quais quiserem caminhar, conduzir os rumos do Brasil, doravante vai ter que suar a camisa e mostrar serviço e não claudicar jamais!
6.       Estão passando bois e boiadas no cenário desta bela e promissora nação, mas esta corja toda dos infernos cavou  seu abismo. E o Gigante verde, amarelo, azul e branco se pudera fosse adiantaria o relógio para avistar um novo tempo, um novo tudo para o bem maior de seu povo. Então poderemos voltar a prosear sobre o tempo  do carro de bois, do cruzeiro iluminado, do terreirão de Jorge guerreiro. A fase atual desta exponencial negatividade vai passar e soprar no meu sertão, cidades e povo brasileiro um vento fresco e arejado de senso  comum e bem estar social.

Abraços rimados

Chaia Alvim Helder
Postar um comentário