quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Oh! paz porque tardas tanto?

               “ A coragem conduz às estrelas, o medo à morte”           Sêneca                                                          
1.       Então, guardadas as proporções  a Pax Augusta abriu uma clareira de luz e estabilidade social entre os  povos no ano 9 A. C. Sem deporem as armas os donos do poder estabeleceram uma pacto abrangente em Roma, na Hispania e Galia meridional, graças à expedição pacificadora de Augusto.
2.       Um monumento fora erigido no campo de Marte, o Ara Pacis, orgulho dos romanos, símbolo da boa fase de entendimentos entre homens e deuses, um culto à paz, em memória da guerra, um elogio à vigilância, um engrandecimento à piedade.
3.       Este obelisco de mármore expressava a força das virtudes romanas e a graça e leveza das formas helenísticas , e pretendia dar sombra, proteção a todos os povos dominados por Roma ao longo dos seus mais de  9.000 quilômetros de alcance.
4.       Foram tempos de  elmos e cavalariças, cenário ideal para surgir outro potentado vindo do céu: o verdadeiro e autêntico príncipe  da paz, ‘ que criou todos os astros, aquele que faz marchar o exercito completo – dos anjos- e a todos chama pelo nome, o qual é tão rico de força e dotado de poder, que ninguém falta ao seu chamado,
5.       Por que dizer te então ó Jacó, por que repetir ó Israel, escapa meu destino ao Senhor, passa meu direito despercebido a meu Deus? Não o sabes? Não o aprendeste? O Senhor é um Deus eterno!
6.       Ele cria os confins da terra, sem jamais fatigar-se nem aborrecer-se; ninguém pode sondar sua sabedoria, dá forças ao homem acabrunhado, redobra  o vigor dos fracos, até os adolescentes podem esgotar-se, e jovens robustos cambalear, mas aqueles que contam com o Senhor renovam suas forças; ele dá-lhes asas de águia, correm sem se cansar, vão para frente sem fatigar.’
7.        Assim trouxe-nos hoje o profeta Isaias estas belas e significativas palavras a respeito do Anjo do grande conselho, o Deus humanado por nós e pelos nossos pecados. Que justamente conduziu o tempo propicio para se manifestar na terra dos homens, se encarnar no seio de uma virgem em Belém de Judá...
8.       Viver 30 anos de vida apagada mas repleta de lições de vida, uma vida sob os olhares do justo José, e pelos doces e meigos olhares da melhor de todas as mães: Maria. Enquanto o poder crescia nas mãos dos imperadores romanos, ávidos de fama e glória, Deus crescia em idade e sabedoria em Nazaré, um paradoxo de êxtase e fé que somente os corações de poucos compreendiam a extensão e grandeza do momento histórico que iria trazer desdobramentos perenes de vida eterna e paz completa.
9.       Dali há exatos 30 anos adiante, o Mestre Jesus Cristo iria começar a sua gesta de amor e pregação que culminaria na cruz de escárnios, mas que de fato redimiria o mundo do primeiro pecado e colocaria toda a raça humana em igualdade com os anjos do céu e merecedora do paraíso resgatado pelo sangue do cordeiro, o mais belo gesto que a humanidade recebeu.
111. O hálito fresco do primeiro natal deixou no ar algo do mundo bom, e prometeu voltar ainda uma segunda vez... após afastadas as  pedras de tropeço, depois que as espadas tiverem transpassado os corações os Simeãos do novo tempo  da esperança erguerão o menino Deus nos braços e a humanidade enfim terá um tempo de paz...

Um santo e abençoado natal !
Helder Tadeu Chaia Alvim


Postar um comentário