sexta-feira, 11 de setembro de 2015

'Éfata'

     ' ÉFATA'

1.       As abelhas definem seus voos para polinizar as flores e extrair delas seu néctar e depositar em formato hexagonal na colmeia,  o mais puro mel com sabores diversos e propriedades medicinais apropriadas e tem tantos desde o eucalipto, o da laranjeira, cipó-uva, mil flores ou silvestre, o mais comum no brasil, até chegar ao saboroso e incomum morrão de candeia, encontrado na região mineira de Juiz de Fora, MG.
2.       Assim definiu o biólogo e professor Fabricio Alvim meu parente casado com Ive e pai de Maria, minha sobrinha querida e inteligente, que gosta de conversar, brincar, estudar e pintar quadros lindos, o ultimo uma arara azul para presentear a tia Edinha.
3.       O mel assa-peixe continua, é um depurativo natural do sangue, o cipó-uva desintoxica o fígado, o eucalipto previne doenças respiratórias, o de laranjeira regula a função intestinal, e o morrão de candeia protege o aparelho digestivo, por fim o silvestre é laxante!
4.       ‘Agora é minha vez’ de discorrer acerca de um outro mel depositado na colmeia do coração humano pelo Divino soberano ao criar o universo, a lua, o sol, as estrelas, a imensidão do mar, a terra com seus enzimas, átomos, neutrinos e riquezas incalculáveis.
5.       Houve um tempo na historia que as aguas do diluvio submergiram o mundo, o ser humano estava tão sem noção que houve esta depuração universal e começou-se com Noé e sua família outra vez a trajetória da vida na terra.
6.       E foi que foi e as aguas do mar vermelho submergiram a cavalaria do Faraó que perseguia o povo hebreu e não queria que fossem livres.
7.       As aguas batismais por ação direta do Espirito Santo inicia o catecúmeno na mistagogia  da realidade divina e põe à disposição do batizado a herança de um céu feliz e incute em seu espirito que o verdadeiro filho da Igreja não deve fazer ‘acepção de pessoas’, e nunca ‘fazer juízos com critérios injustos ‘, e assim tornarem-se como explica o apostolo dos gentios Paulo de Tarso, ricos na fé, e herdeiros do reino que Deus prometeu aos que o amam.
8.       Numa bela manha de outono estival, Cristo Senhor saiu da região de Tiro, percorreu Sidônia e chegou ao mar de Galileia, palco de tantas proezas do Nazareno e se dispôs com seus discípulos a atravessar a região de Decapóle. Com exceção da Galileia, o mestre pisou em uma terra estrangeira de costumes pagãos fora de seu clã habitual.
9.       Não e à toa que percorrera esta região diversas vezes e operou inúmeros milagres a favor daquele gente, sem influência politica, muitas vezes esquecida e deixada de lado pelas autoridades romanas.
10.   O episódio que vamos citar reveste-se  de um significado especial e traz em si uma beleza cristalina que emociona mesmo depois de muito chão, e ao folhear o evangelho de Marcos vemos sair dele fagulhas de bondade, amor e misericórdia que só o coração de um Deus é capaz.
11.   Alguma mão piedosa sabendo da passagem do Rabi prontamente trouxe um homem surdo, que havia se fechado em sua solidão e silencio e que sequer podia tomar decisões e iniciativas, atalhado, amordaçado que se encontrava  em seu problema de comunicação.
12.   E o Mestre a tudo viu, conhecedor da psique humana se compadeceu daquele homem, e a rogo de um bom samaritano, que pediu-lhe que impusesse a mão sobre aquela pobre criatura, Jesus aquiesceu prontamente, tanto que se retirou com o surdo mudo para um lugar ermo, fora da multidão e em seguida narra o evangelho que ‘colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele. Olhando para o céu, suspirou e disse em um tom grave: ‘ÉFATA’! Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade...’
13.   Que esplendido a cena nesta tarde de calor e trinado de pássaros, de frutas exóticas para nosso sabor tropical, de gente apinhada em torno do Mestre, de gente que possuía alguma fé no poder de Cristo, tanto que o acompanhavam e cada milagre vibravam e diziam que tudo que Ele fazia, fazia-o bem!
14.   Jesus, o Deus humanado remava contra a maré da politica escravagista do elmo romano, contra as pretensões de poder espiritual e material da casta dos fariseus, e olhava o futuro com o olhar de um profeta e via para lá do horizonte de Decápole um sol que nasceria um dia para toda a humanidade, ou seja um amanhã novo!
15.   Ele melhor que ninguém sabia interagir com os gentios, quebrar as barreiras sócios culturais deles  para realizar o sonho daquele surdo mudo de se integrar na sociedade e ter o direito de decidir livremente suas escolhas.
16.   E após ser miraculado o homem deve ter trilhado um caminho diferente e ter testemunhado até ao anoitecer de sua vida a grandeza daquele ‘Éfata! Saído da boca de um Deus!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário