terça-feira, 21 de outubro de 2014

Vai um gole de brasilidade aí.

Carta aberta ao Exmo Senador  Sr. Aécio Neves,
Candidato à Presidência da Republica Federativa do Brasil
Prezado Aécio,
Quem lhe escreve é um poeta mínimo antenado nos destinos de uma nação grande por natureza, e hoje fraca nas certezas que outrora a iluminaram. Por mais de uma década a opinião publica acompanha sobressaltada a enorme ‘desação’ da administração federal, com inflação alta, desempenho pífio da economia, corrupção em setores estratégicos, diplomacia acanhada, um governo sem total visão tonal da realidade doméstica e global. Se houver continuidade da atual mandatária mais e mais aleivosias aguardando mais de 207 milhões de brasileiros.
Caro Aécio, não tenho  partido ou entrevista, sou poeta das ruas paulistanas, advindo do norte fluminense, e com raízes na gloriosa Minas Gerais. Pela razão da essência poética, eu e milhares de outros artistas ‘captamos as dores da pátria amada, e muitas vezes morremos de dores que não são nossas’, mas pertencem à nação inteira, uma espécie de antena delicadíssima no dizer do escritor Rubem Braga.
Por esta razão estamos inteiro na brasilidade que representa, meu caro amigo, e certos que vai prevalecer em seu governo o bem comum, a ética, a estabilidade econômica, o apoio aos mais necessitados, a educação, a saúde a todos e a segurança pública.
A Situação atual assemelha-se a uma espécie de esboroamento geral da fuselagem brasileira, estourando escândalos por todo o lado, conforme noticiam diariamente os meios de comunicação. Mal saímos do episódio triste das mensalidades, levada à cabo pelo STF, sob a égide do Dr. Joaquim Barbosa, e o dique estoura na Petrobrás, patrimônio de todos os brasileiros.
O governo da situação insiste em afirmar suas ‘conquistas’ reais ‘ e esquece de ir à fonte primeira quando o Estadista Tucano e Prof. Fernando Henrique Cardoso peitou interesses externos e internos e implantou o plano real, do qual o próprio PT se beneficiou. No a atual administração se perdeu no poder pelo poder. Tanto é verdade que em junho de 2013  eclodiram as manifestações nas ruas soberanas dos estados brasileiros, e a virada do 2º turno a seu favor demonstra, caro Aécio que o povo parece finalmente querer acordar o gigante adormecido e caminhar com ele rumos diferentes dos que aí estão.
Sinalizaram o bem comum maior inerente a mais de 207 milhões de filhos da mãe gentil e querem cantar com ela um canto de paz, harmonia, autodeterminação, e ver dias melhores para sua prole. Por isso vai depositar em suas mãos esta confiança, para depois sorrir um riso solto, livre e soberano.
Aliás, seriam míopes os eleitores se não se posicionassem a respeito nas urnas no próximo dia 26 de outubro para fazer jus à retomada do crescimento sustentável e uma gama de outras prioridades de emergência vital ao Brasil. Para fazer cessar os favorecimentos políticos, e colocar o Brasil nos trilhos, lugar que nunca deveria ter saído à partir da era FHC.
Um movimento ‘sed contra’ não só do PSDB, mas agora de todos os brasileiros, pois confesso que vemos a exaustão bater ás nossas portas, e o horizonte belo, calmo e hospitaleiro de nossas convicções se toldam a cada dia que ouvimos novas denúncias de corrupção.
No cenário nacional e internacional, o candidato Aécio Neves polariza esta reação benéfica, e terá a seu dispor ferramentas constitucionais para fazer a grande assepsia geral de que o país tanto necessita para a felicidade do povo e o bem de um novo tempo que se avizinha na curva da nossa história para restaurar as cores esmaecidas de nossa bandeira, fazer valer a democracia e o bem comum maior inerente a mais de duzentos milhões em ação.
Nas urnas de domingo o Brasil aguarda um sim coletivo, empírico, anímico e progressista para tirar o país do atraso e conferir-lhe seu desígnio de nação livre, democrática, auto sustentável e assistida pelos seus filhos de norte a sul, leste, sudeste, norte, nordeste e centro oeste, todos em hum , hum com todos, pois o futuro vai se apresentar hoje para oferecer à brasilidade um tônico rejuvenescedor, reconfortante, moderno e para a frente.
Vejo que será um belo gesto de amor ao Brasil, sem medo de errar, generoso, solidário, pois se quarenta é numero da sorte, acrescentar mais cinco quintuplica + 45 e fará o gigante acordar de seu pesadelo, se levantar e sorrir de novo um riso desta vez solto, alegre e promissor durante os seus 365 dias adiante e adiante, certo que a mudança virá e já começou... Que o Espírito Santo ilumine a Você preclaro candidato do povo, a todos os irmãos e irmãs brasileiros. Assim Seja!

Saudações efusivas,
Helder Tadeu Chaia Alvim
poeta mínimo
São Paulo, 21 de outubro de 2014





Postar um comentário