terça-feira, 28 de setembro de 2010

Amizade, um sentido forte

Eu só quero saber da poesia, amigos que caminham comigo de mãos dadas. E tenho alguns que compreendem minha jornada.Eles me apoiam, se estou faminto repartem comigo o pão da sua mesa. Vou caminhando, cismando, na certeza certa de tê-los por perto, entendem o que digo, máxime nos dias chuvosos, nos dias áridos de sol ardente, nas noites calmas, mornas e sorridentes. Seu olhar me acompanha de perto e dizem poeta estamos contigo e nada mais importa. Ao sair deixe a porta aberta, pois os sonhos estão para chegar no afago de suas recitações. Se tropeçar nós lhe amparamos, se trupicar pode apoiar em nosso ombro. Se estou desesperado me dizem estes anjos da minha guarda: poeta olhe as rimas... pois  acima de sua cabeça está aquele que na certa não vai nunca lhe desmerecer, aquele que foi poeta e não deixou palavras incertas, mas sim eternas e do bem, aquele do reino celeste unido, aquele dos mandamentos do amor e prece perene, aquele que convida a humanidade a caminhar em busca das plagas celestes, imutáveis no aconchego da sua luz irrefutável. Depois destas palavras iluminadas indaguei quem era o santo ou profeta que duelou com o tempo, rimou o mundo, sofreu a ignominia da cruz, venceu a morte na poesia de sua magna presença? E me responderam , foi Jesus Nazareno!

Helder Tadeu Chaia Alvim
Poeta Minimalista
Postar um comentário