segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Ida ao Instituto Central do H.C.

1.Era 28 de julho e não estava eufórico como de costume. Tinha motivos pois ganhara de presente dois dias de folga colado ao fim de semana... Podia perambular pela extensa metrópole e olhar nos seus olhos barulhentos, indagar alguma coisa nova para o meu primeiro livro de poemas, conversar com os amigos bebericando uma cervejinha, etc. etc. Estava com uma graninha extra no bolso e pensava em adquirir o tão sonhado chapéu Prada e mandar alguns poemas por aí despreocupadamente indagando ao silêncio os rumos para o mundo tão carente de cultura e feitos poéticos.Vã ilusão a minha como verão a seguir.

2.Mas alguma coisa me dizia que o meu natalício, oh! que seria no dia seguinte não sairia conforme planos pré estabelecidos, não! Pelo menos desta vez acreditei em premonição muito antes de acontecer. Cheguei em casa, desvesti-me da gravata, preparei um macarrão à moda bolonhesa, um vinho do porto ao lado me namorava há dias e nem mexo no prato, na primeira garfada a garganta disse, meu caro hoje vc vai cortar dobrado. Um chá desceu apertado, aspirina e cama para o poeta coitado.Quede de dormir, a garganta doia um bocado, nem a saliva engolia, me espantava!

3.De manhãzinha fui parar no Instituto Central  do H.C. mais propriamente na OTL, Dra. Vãnia G.W.Santos,especialista no assunto prontamente me atendeu e diagnosticou meu caso. Lá mesmo fui medicado pela equipe de enfermagem que estava plantonizando.Pessoal dedicado e bem capacitado. Após as aplicações venosas recebi alta e a recomendação médica para continuar o tratamento à base de cefalexina e cimelide, acrescentei a velha receita caseira do guaco-mikania glomerata com uns pedacinhos de gengibre, uma efusão e tanto que me assombro em pensar.

4.Tanto que hoje, domingo o primeiro de agôsto me posiciono neste blogg para agradecer ao H.C. na pessoa de Dra Vãnia G.W Santos e equipe de enfermagem que me atenderam tão bem, com amor e alegria. Realmente a gente se sente feliz em poder contar com eles, que muitas vezes esquecem suas dores para sanar as do próximo. Que bela a profissão a de vcs, amigos que se dedicam totalmente com garra e resolução nesta nobre profissão humana da medicina. Parabéns e um forte abraço de agradecimento, digo por mim e por milhares de seus pacientes, anônimos mas que levam no coração a gratidão e o reconhecimento por sua vocação amplexando o divino e o humano.

5.Bastaram pouco mais de duas horas que convivência com eles para eu reavaliar meus conceitos, deixar de lado pretensões que não as de lutar pelo mundo bom, solidário e mais equitativo, pois muitas vezes na abastança da saúde a gente não avalia a altura a finitude que nos rodeia e pode desfazer anseios, desmoronar vãos castelos de areia, erguidos pela vaidade e despromessas da eternidade feliz com Deus e Virgem Maria.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário