segunda-feira, 24 de maio de 2010

Sem hora de terminar...

1.Recentemente adquiri um violão Memphis, no intuito de dominar a técnica e poder ao declamar alguma poesia que o ritmo, o compasso e o andamento dos versos fluissem melhor à plateia sempre obsequiosa.

2.Como dizia tudo começou quando passei na Loja Arte Som Eclipse na rua Teodoro Sampaio,770 -Pinheiros, SP e aquele violão foi amor à primeira vista, o vendedor, o jovem Mateus, tocou uma música do Zé Geraldo e sem pestanejar saí com o meu novo violão à tiracolo, uma emoção que nunca tinha sentido antes tomou conta de mim e entendi como a escolha fora acertada.

3. Lá vem o poeta novamente com suas elucubrações mirabolantes. É verdade! Só que o violão tornou-se meu confidente, preenchendo a lacuna na vida deste poeta errante e ocupou um lugar especial em meu coração.Coisas do destino!

4. Me vi transportado para outro mundo das modulações, quando os primeiros acordes surgiram naturalmente.Entre pentagramas e notas vislumbrei por inteiro quão difícil é fazer a arte genuína.

5.Minha consideração cresceu acompanhando o Lá Bemol e os valores do tempo.Pouco a pouco me encontrei absorvido em outro universo, o musical e entendi melhor o anseio de Hermann Hesse ao querer juntar todas as artes.

6.Desde os malabaristas do semáforos paulistanos, passando pelos números circenses, os atores de teatro e os violeiros esparsos pelo imenso Brasil, os poetas de rua, palco e academias, entendi que para eles a arte nasceu expontaneamente, foi burilada convenientemente, estudada à exaustão e por isso aflorou em seus lábios aquela canção desconhecida, admirada pelas multidões.

7. O sorriso de sinceridade, o desejo de um mundo mais leve faz da arte autêntica o paradigma de um mundo mais humano e solidário em todas às suas múltiplas manifestações instrumentais, que seria longo enumerar pois ao tanger as cordas de um violão(p. ex.) estão fazendo eco aos valores da harmonia universal perene, tão esquecidos em nossa sociedade de consumo multipolar.
8.A música traz o ambiente lúdico para o meio de nós e nos transporta ao seu mundo de mistério e elevação. Você entra nela despreocupado e sai com um motivo a mais para viver... A marcação dos seus ritmos, as suas tonalidades diversas abarca o convívio humano num amplexo sem hora para terminar...

Helder Tadeu Chaia Alvim
Poeta Minimalista
Postar um comentário