domingo, 30 de maio de 2010

Liberdades Cerceadas

1. Em 23-07-2009 editei neste Blog uma matéria intitulada: Vida Bigbrotteada do Tabaco, me disseram estranhar pois a campanha anti estava a todo vapor livre da fumaça. Não discordei apenas disse para aguardarem os resultados pois haveria quem se debruçasse sobre o assunto para lançar um parecer categórico e bem fundamentado. A minha opinião não tratava do mal em si do cigarro, e sim da imposição que a norma abrangia em prejuízo da liberdade individual de cada um.

2. Qual não foi a minha surprêsa ao ler no Diário do Comercio de 21-05-2010 pág. 4 -Economia, em que Carlos Franco em sua coluna de Publicidade, tão bem aborda o assunto polêmico com uma visão clara e bem humorada, vale a pena dar uma conferida, a sua leitura lança novas luzes ao tema em voga, aliás a menina dos olhos de alguns políticos às vesperas das eleições.

3. Veja bem, o castelo dos impositores do anti tabagismo perde um tanto sua cor rósea com as afirmações do epidemiologista Geoffrey Kabat,do Albert Einstein College of Medicine de Nova York.''...Segundo Kabat-afirma o articulista- as pesquisas podem punir um fator e valorizar outro, dando origem a verdades criadas e estabelecidas sem o rigor científico necessário." E os argumentos não param por aí: "Em primeiro lugar, os modelos adotados pela epidemiologia resultam de pesquisas não-experimentais.Não são testes rigorosamentes científicos." E Geoffrey Kabat vai desfazendo lendas uma atrás da outra sob a influência da propaganda no consumo alcool, do cigarro e do café. Quem diria! Agora não precisam mais esculachar as rimas soltas como infundadas. Elas não merecem!

4. O alerta do artigo acima sugestivamente mencionado: "POLÊMICA NO AR.", traz um tópico a meu ver primordial e que calça a nossa despretenciosa tese escrita em outra ocasião neste Blog- diz o artigo mais na frente, "... O mais preocupante, porém, está no fato de a ciência ser usada para o estabelecimento de padrões de comportamento ditatoriais, como no caso do fumo e da bebida alcóolica, desrespeitando o livre arbítrio."

5. Eu em particular vejo nesta campanha antitabagista uma plataforma política e não o livre exercício da democracia, com afirmei anteriormente. Vamos aguardar mais informações e as próximas eleições.Se já não bastassem a impostura dos tributos que aumentam a cada segundo ainda aparecem com mais esse cerceamento da liberdade individual do cidadão, É mole marreco! Ou querem mais!

Helder Tadeu Chaia Alvim


Postar um comentário