sexta-feira, 15 de maio de 2009

O último tudo...

O último gole,
O último cigarro,
O último amor,
O último vintém,
O último ano
O último suspiro,
esgotou tudo!

Virar os bolsos e nada encontrar, já sentiu assim, eu também, lamentações à parte vá prá casa, o travasseiro é bom conselheiro, amanhã a sensação estranha passa e verá que a frustração foi momentânea. Não adianta procurar a explicação, ouça sua música brega e comece tudo de novo aperte o iniciar, reconfigure tudo,Bata no peito olhe no espelho de uma chance nova para o esqueleto. Ele respira, que coisa linda, sua alma canta, assobia e se encanta na pureza das intenções humanas.

Helder Tadeu Chaia Alvim
Postar um comentário