sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

a lua cheia em contingência x proatividade

Os céus conspiram, vamos lá,
São Jorge, guerreiro lendário,
até hoje povoa o imaginário
de crenças populares,
montado em um cavalo ajaezado
se torna defensor dos fracos e desamparados.

Deixo de lado o vulgar propalado
e pego carona, abismado com o
céu paulistano, de incomum estrelado
momento sublime e impar... Vejamos!

Até hoje paira o insondável mistério
acerca de sua figura lendária,
vida de desdobramentos etéreos
uns dizem que foi guerreiro católico,
salvara a princesa de sacrifício peremptório,

Com sua espada flamejante,
derrotara o dragão num instante, munido de bravura
e obteve dela um olhar fulminante de ternura,
firme em sua crença a Cristo devotara a sua existência

Paira no ar e a lua está aí para atestar
seu destemor, o que importa é a lenda pura
de um homem santo e corajoso,
sua oferenda atravessa séculos e se afirma
defensor dos fracos e hesitantes

Neste traço de um poeta cantador
fica registrado os passos de um herói popular
que a tantos enlevou e se consagrou
guerreiro, mártir no alvorecer da grande Era.

Lendas à parte, ele existiu de fato
e ainda hoje a lua cheia revela
em mítica proeza a vitória do bem
em toda a extensão da clareza.

( Poesias aladas -Helder Chaia Alvim )
Postar um comentário