quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Yoani, a pérola das Antilhas sob a ótica mutante do tempo...

1. No  seu olhar vi muitas coisas que guardo comigo e algum tanto reparto neste blogger democrático do Google; dado o parco alcance de minhas assertivas poéticas na mídia doméstica sei o quanto sou acessado em outras partes do globo o que me alegra um outro tanto por estar antenado no arco entesado do movimento atual, esgrimando com as letras na produção e divulgação em tempo real.

2. Yoani veio visitar o Brasil, o que é bom e representa um passo importante na atual política de Cuba, um país que amamos e que almejamos inserido no contexto das nações livres.Muito se tem falado a respeito de sua passagem em solo Brasil e até, como seria de se esperar, virou manchete nos jornais, causou polêmica nas capitais por onde passou, enxergou realidades semelhantes ao seu torrão natal, viu um povo sofrido, desapercebido talvez e terá guardado  em sua arguta memória considerações possíveis e indeléveis.

3. Não cabe a mim decifrá-las, caberá ao tempo futuro constatá-las em prosa e verso em seu Blogger Generación Y. De minha parte no meu canto acanhado e livre vi a orquestração da mídia saudosista, a revolta de poucos tentando coibi-la ao falar da situação de seu querido País, a Cuba nossa co-irmã e quase vizinha caribenha.

4. Aqui na res publica Bar zileira todos tem voz ativa e vez cativa... Será?! Sem dúvida deu para perceber que no seu país de origem existem regras estabelecidas desde os remotos anos de 1958, onde os mandatários tem receio da luz dos fatos, temem a abertura, a livre iniciativa e uma gama de fatores da lei natural que fizeram a prosperidade da América do Norte.

5. No olhar de Yoani Sanchéz vi a esperança de dias melhores brilhar, sim! Vi a angustia e o aperto de seu coração patriota, vi a liberdade poética emergir das sombras do passado. Vi o estado bucaneiro sua ascensão e queda, vi as manchetes do Granma enaltecer seu líder máximo: comandante Fidel Castro. Percorri in fieri num assomo de sobressalto Sierra Maiestra, Moncada, Bayamo, Isla de Pinos, Oriente e Las Vilas.Vi as ações da FEU, do INRA, do ICAIC, ARJ, CDR, MRN, UCP e FMC.Vi a dissidência ao regime ser banida da ilha, o "paredon" e a prisão do poeta Armando Valadares.

6. Sem delongas quedei amuado, porque? para que? Perguntas que ainda pairam no ar pois toda a forma de governo que oprime seu povo, que o aliena da religião, que cerceie a sua liberdade individual torna-se ao extremo anti natural. Mas um começo da mutação se anunciou para os cubanos com saída da escritora Yoani Sanches da Ilha com visto chancelado pelo governo .

7. A mutação necessária está acontecendo, o que é um alento.Resta saber até quando e como isto se sucederá para Cuba se inserir totalmente na nova era humanitária que bate à sua  porta com insistência, calma e determinação.

8. Em terras brasileiras Yoani viu os dois lados da face verde e amarela, uma e outra que berram, gritam e falam na liberdade que lhe faculta a constituição.Viu gente indo e vindo, alegre, triste, calada, falante, colheu o sorriso de muitos, a aversão de poucos. Na sua retina certamente sentiu-se em casa e afirmou a que veio e  os propósitos de sua visita tornaram-se notórios, sem maquiagem, brilhou no palco da atenção da Capital Federal e na cidade de São Paulo e em diversos outros lugares.Esteve no glorioso Nordeste de um povo alegre.

9. Atualizando as informações, a jornalista e filóloga cubana Ioany Sanches ao visitar o Brasil, país continente sentiu o gosto da hospitalidade, que nos é peculiar, o sabor de nossas cozinhas regionais, e a nossa canção popular adoçou seus lábios de poetisa e escritora e certamente ela vai esquecer os dissabores e contratempos que alguns provocaram.

10. E nós, os brasileiros, seus irmãos a saudamos retribuindo seu sorriso meigo e auguramos que suas aspirações legítimas possam contribuir para a liberdade total e sem peias naquela que carinhosamente foi intitulada a Pérola das Antilhas. Unidos ao povo cubano, nosso irmão ordenamos nossa ações para a paz sem arranhaduras, para a paz que brotou um dia do coração de um Príncipe eterno, senhor do tempo  passado, presente e do porvir e que mais dias menos dias fará raiar a aurora de perfeita sintonia e autodeterminação dos povos.

11. É chegada a hora gente sensata de enxugar as lágrimas do passado e de se alegrar com os dois olhos, é hora de rufar os tambores da grande harmonia universal, è hora de retomar a trilha perdida da fé em Deus, na devoção a Santa Virgem, na maior compreensão da Igreja que Pedro fundou e que rege os destinos últimos da geração terra.

12.Vi no olhar de Yoani tanta coisa, vi os pássaros livres começando a enxergar, os rios soberanos da liberdade se encontrando, a rima fazendo sua morada nos mares a dentro da emoção, as reservas de calor humano de um povo, o abraço de união dos brasileiros e cubanos, vi tanta coisa, vi o tudo e o nada e sobretudo a beleza escondida de uma pérola que se chama: Cuba e que traz a proteção do Apostolo de Cristo: Santiago e da Virgen de la Caridad del Cobre.

Helder Tadeu Chaia Alvim



Postar um comentário