terça-feira, 9 de dezembro de 2008

D i v a g a n d o d e v a g a r p a u s a s p a u s a d a s
p a u t a s p a u t a d a s   v i d a s v i v i d a s i d e a i s i d e a l i z a d o s s o n h o s s o n h a d o s r e s u m o e  s u m o n e s t e v a l o s e m i n t e r v a l o


Mecenas,

Ao escrever neste blog do Google, pretendo divulgar meu pensamento, interagir o entendimento, colocar para fora sentidos sentimentos que ora se encontram ansiosos na gaveta aguardando a chance da publicação, o sorriso precioso de sua compreensão.Arte,merecidamente atual agradece na letra. Desculpe-me por tomar seu tempo. Tudo que relatei foi ditado pelas rimas da inspiração, o que foi escrito foi repassado pela voz do coração. Eu o deixo com uma benção irlandesa simples:

Possa a estrada levantar-se para encontra-lo, possa o vento estar sempre às suas costas,o sol brilhar em seu rosto, as chuvas caírem mansas em seus campos, e até que nos encontremos outra vez, possa Deus tê-lo mansamente na palma de suas mãos.”



O autor mínimo
Postar um comentário